Pense em uma bola azul... Será que a bola azul que tu idealizas é igual a que eu idealizo? Da mesma forma, se pedirmos a dois amigos que desenhem em um papel uma bola azul, será que o farão da mesma forma? Tenho convicção que não.

Um pessoa, leiga em um assunto, relatará uma bola azul como ela a percebe e, talvez, se for muito atenta, poderá indicar algumas pequenas características. Já um profissional, para um diagnostico ou palpite qualquer, precisará saber efetivamente a dimensão e o peso da bola, bem como de que material é feita, qual o tom do azul, com que tinta foi pintada, o que há dentro da bola, se está cheia, murcha... ou quão cheia está... Simétrica? Furada? Ovalada? Inteiramente azul ou apenas predomina o azul? Quantas mais perguntas podemos fazer a respeito de uma simples bola azul?

 

As vezes eu recebo perguntas e solicitações de dicas que são impossíveis de se transmitir via computador, porque englobam muitos aspectos. Não se trata de não querer passar conhecimento, fosse isso eu não escreveria artigos frequentemente e disponibilizaria gratuitamente no site, pelo contrário! Se trata sim de ter responsabilidade em cima de um diagnóstico ou dica!

Trazendo o exemplo da bola azul para meu mundo, dos cavalos, é difícil avaliar um comportamento por um relato, porque os olhos de um profissional enxergam diferente dos olhos do dono ou de um leigo em etologia. Não bastasse isso, meu modo de manejar não é único, e sim adequado a cada indivíduo, conforme ele me responde durante o trabalho. Alem disso, não tenho como avaliar e conhecer o método de manejo de cada proprietário, e essa informação é fundamental. 

Em resumo, sem conhecer e visualizar o trauma e o metodo de manejo de quem relata o problema, não tenho como diagnosticar uma causa e nem o tamanho do problema. Sem essas informações, qualquer dica é meramente intuitiva, e tem mais chance de erro do que de acerto. 

Não existem receitas e metodos prontos para a resolução de traumas. Existe um conceito e uma filosofia de vida que me ofecerem diversos recursos para restaurar uma boa relação e melhorar o manejo ou desempenho de um animal frente a um determinado problema. E é por isso que não funciona simplesmente uma dica como "faça isto" ou "faça aquilo", porque tão importante como fazer, é fazer da forma correta, no tempo exato, sem margem de erros, e para isso não há aprendizado em telefone, internet ou mensagem... a única forma de aprendizado é ao vivo, praticando e corrigindo! 

Por tudo isso, se me pedires uma dica (ou se já me pediu) e eu não consegui te ajudar, não me leve a mal e não pense que não me importei com sua pergunta, as vezes a resposta mais responsável, coerente e correta é a que soa mais antipática: marque uma consulta! Acredito que isso é válido para qualquer profissão! Lembremos, sempre, de uma certa bola azul! 

Share

Assine nossa newsletter

Minhas Redes Sociais

iconmonstr-facebook-3-icon-48 iconmonstr-youtube-3-icon-48