O acesso às patas dos potros é essencial para o bom manejo durante o resto da vida do animal. O casqueamento e ferrageamento, bem como limpeza geral e curativo de possíveis ferimentos nos membros são situações corriqueiras que podem se tornar um grande problema se o cavalo não for condicionado previamente à aceitar o manuseio das patas. Geralmente inicio este trabalho já nos primeiros contatos com os potros, durante a dessensibilização.  

O vídeo a seguir demonstra quatro exercícios que, de maneira segura para o operador, condicionam o cavalo a aceitar o toque nas patas.

No exercício 1 eu toco as patas com uma vara, de maneira que possa me posicionar mais longe do animal, evitando acidentes por uma reação de medo por parte do potro. O objetivo aqui é que o animal aceite o toque da varinha e mantenha o membro tocado no chão. Para isso, utilizo a técnica de pressão e alívio, onde mantenho a varinha tocando o membro até que o cavalo pare e, neste momento, retiro a varinha. Dessa forma indico ao potro que se ele permanecer com a pata parada no chão eu logo aliviarei a pressão.

O exercício 2 consiste em fazer o mesmo processo do exercício anterior porém com a varinha mais curta, de maneira que a mão fique mais proxima da pata e, por vezes, a toque. 

O terceiro exercício tem por objetivo tocar as patas do potro com as mãos. Para isso, inicio tocando da cernelha para baixo, em toques suaves e rápidos. Aumento a frequencia e intensidade do toque na medida em que o potro vai se acalmando e permitindo tal evolução. A dica aqui é retirar a mão antes do potro querer se movimentar. É necessária a compreensão de que cavalos são seres com pernosalidade, e que o tempo de cada animal deve ser respeitado para uma evolução satisfatória. Entender qual o limite de cada animal é fundamental para o sucesso com o trabalho.

Finalmente, o quarto exercício do vídeo demonstra como ensinar o potro a começar a levantar as patas, uma vez que já aceita o toque sem movê-las do chão. Neste exercício, o objetivo é criar um desconforto que leve o cavalo a retirar a pata do chão. Para isso, fico batendo insistentemente com a ponta do pé ou com a mão no boleto do potro, até que este levante o membro em questão. É importante salientar que a ideia aqui é ser insistente, e não dolorido. Não se deve causar dor ao animal, e sim ser "chato".

A partir desde exercício, podemos avançar e evoluir passando a segurar o membro no ar por breves períodos. A quantidade de tempo que se segura a pata no ar deve ser aumentada progressivamente.

Deve-se ter em mente que em se tratando de cavalos não há uma receita que funcione com todos os animais. Este é um recurso demonstrado que geralmente funciona. Existem variações destes exercícios utilizando cordas, varinhas com luvas na ponta e etc. Acredito que todos são válidos e pode-se adequar à necessidade de cada animal e à forma de trabalho de cada pessoa. 

Share

Assine nossa newsletter

Minhas Redes Sociais

iconmonstr-facebook-3-icon-48 iconmonstr-youtube-3-icon-48